• R. Cel. Leme da Fonseca, 344 - Centro - Jundiaí - SP - (Próx. ao Terminal Central)
  • (11) 4586-2455
    Saiba como minimizar faltas e atrasos

    O termo absenteísmo é usado para designar a ausência do trabalho por qualquer razão: doenças, acidentes de trabalho, direitos legais, fatores sociais e culturais, ou os próprios da empresa. Segundo o advogado Mark William Ormenese Monteiro, os atrasos e as faltas por parte dos colaboradores podem ser minimizados com medidas jurídicas.

    “O empregador há de se valer da possibilidade de aplicação de sanções disciplinares àqueles empregados que se ausentam injustificadamente, a exemplo da advertência, da suspensão e até mesmo da demissão por justa causa – observados os trâmites legais –, da perda de vencimento ou prêmios”, explica.
    Para Mark William é interessante e benéfico para ambos os lados que o absenteísmo seja combatido também com gestão de pessoas. “A lei precisa ser garantia de que os direitos de trabalhadores e empregados sejam respeitados, porém, só deve ser acionada quando outras possibilidades já tiverem sido exploradas, como uma boa comunicação interna e gestores preparados”, completa.

    Atestados
    Uma lamentação comum por parte dos empresários é o alto número de atestados médicos entregues pelos colaboradores. “Essa sim deve ser uma preocupação. Acompanhar os registros, de onde provêm os atestados, se eles se repetem, e também fazer um levantamento para saber se a própria execução das tarefas está levando o funcionário a ficar com a saúde comprometida são estratégias interessantes”, orienta.
    “Muitas vezes, pequenas alterações no ambiente de trabalho podem ser tão benéficas a ponto de evitar a ausência de trabalhadores, a mero exemplo de uma iluminação correta, circulação de ar adequada e assentos ajustados”, completa.
    Sob outra ótica, Mark William ainda avalia que o absenteísmo pode demonstrar certa rejeição ao trabalho, insatisfação com o salário, com as políticas da empresa, com as condições oferecidas, com a liderança e até fatores emocionais por parte do colaborador.
    “As causas podem estar ligadas a vários fatores, como a falta e motivação para o trabalho ou mesmo dificuldade no transporte até o local. Descobertos pelos reais motivos, sempre vale uma conversa com o colaborador para que, juntos, possam resolver a questão antes de tomar a decisão de acionar a lei”, finaliza.

    Assegurado por lei
    O artigo 473 da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) determina que o trabalhador pode faltar ao serviço sem desconto de salário nos casos de:
    • Falecimento de cônjuge, pai, mãe, filhos, ou pessoa que viva sob sua dependência econômica (quando declarada na Carteira de Trabalho e Previdência Social) – até dois dias consecutivos;
    • Casamento – até 3 dias consecutivos;
    • Licença paternidade – até 5 dias consecutivos;
    • Doação voluntária e sangue, devidamente comprovada – até 1 dia por ano.

     

    Fonte: http://www.jj.com.br/noticias-20320-saiba-como-minimizar-faltas-e-atrasos-